Vinho azul já pode ser encontrado em vários países

Seis jovens sem conhecimento de enologia estão ganhando bastante dinheiro. São criadores de um vinho que tem uma nuance que o diferencia dos outros: é o vinho azul.

Eles levaram seis meses com uma empresa on-line, Gik Blue, para vender em todo o mundo mais de 70.000 garrafas de seu peculiar vinho. Pode ser encontrado na China e até mesmo em uma estação de esqui na Suíça. Há também em 300 bares de toda a Espanha e em sua website a 10 euros por garrafa.

Os criadores do vinho azul, como o chamam em sua sede de operações em Portugalete, Vizcaya, Espanha, têm um escritório de 80 metros quadrados onde a maioria do espaço é ocupado por guitarras e bateria. “Além de fazer vinho também são músicos amadores”, diz Cathy Mac Taig, designer gráfico de 24 anos filho de irlandês.” Aqui não temos um horário fixo e sendo móvel se pode trabalhar em qualquer lugar. Eu gosto de vir para o escritório à noite. Temos muita liberdade de movimento, livre de estresse “, explica Taig.

Próximo a ele é Aritz Lopez, 22 anos e recém-formado em Comunicação. Eles se conheceram em uma noite de festa em Bilbao quando Aritz que nos fins de semana passa do vinho à mesa do DJ.

A sintonia é boa no grupo, e as brincadeiras entre eles são constantes. Iñigo Alday (23) e Gorka Maiztegi (24) são engenheiros informáticos que administram as vendas no site. Há também uma jovem, Sheila Aguilar, mexicana de 22 anos que está estudando a estratégia de negócios. O veterano do grupo é Imanol López (28), um especialista em marketing e administração.

A primeira pergunta a eles é clara: O que levou dois engenheiros, dois especialistas em administração de empresas, um designer e um DJ para criar um vinho azul?

Vinho azul dá volta ao mundo.
Vinho azul
Vinho azul

“Nós fizemos, mesmo sem temos nada a ver com o vinho. Nem mesmo nós gostamos. Há dois anos sentamos e buscamos um setor tradicional que era necessário uma reviravolta. Escolhemos o vinho porque é uma bebida que é muita da nossa terra e leva muitos séculos sem alteração. E dispostos a blasfemar o converteram em azul o que foi o mais divertido que poderíamos fazer”, afirma um dos rapazes.

Seu projeto começou em um programa de empreendedorismo na Universidad del País Vasco, que lhes forneceu os meios para levar adiante a sua “loucura vanguardista”, como definido por eles. Seu início foi no verão e alguns dias mais tarde já tinha centenas de pedidos na web. Eles não colocaram qualquer norma para o vinho azul, como que prato acompanhar ou que tipo de taça o servir.” O que recomendamos é para beber refrigerado”, diz Aritz. “Nossos clientes estão com idade de 18 a 90 anos”, ele brinca. 52% são homens e as cidades que mais demandam são Madri e Valência.

“Com a ajuda de químicos da Universidade, verificou-se que a casca das uvas vermelhas tem um pigmento orgânico chamado antocianina e que é azul. Nós adicionamos em uma base de vinho branco e tinto conseguindo que a cor ficasse mais azulada. Em seguida usamos outro componente chamado indigotina, que deu mais intensidade para os azuis, “explicaram.

Quanto ao sabor, tinham claro o conceito da bebida que queriam fazer.”Tivemos que fazer o oposto do que estava fazendo a indústria. O vinho sempre foi conhecido por ser um produto difícil de beber, muitas vezes se necessita um paladar experiente para apreciá-lo. Nós pensamos que as novas gerações preferem mais os refrigerantes ou cocktails que são muito mais fáceis a partir do primeiro trago. Por isso fizemos um vinho doce e muito suave.”

O vinho azul tem 11,5 graus de álcool desde as adegas de Bierzo (León). Sua cor cada vez atrai mais clientes. Tudo começou com a ideia de algumas jovens que queriam espalhafato. Uma loucura, pensaram seus pais em primeiro lugar. Bendita loucura azul.

REFERÊNCIA:

http://agriculturers.com/el-vino-azul-que-da-la-vuelta-al-mundo/

 

Deixe uma resposta