horta urbana

Horta urbana: como cultivar hortaliças em casa e obter seus benefícios

No passado as comunidades costumavam cultivar regularmente ervas medicinais, legumes e hortaliças diversas em hortas urbanas caseiras. Na sociedade atual mais mercantilista o grande fornecedor das diversas ervas, legumes e hortaliças são os supermercados, lojas especializadas e as feiras livres. Porém, em nome da sustentabilidade e outros benefícios, atualmente por diversas razões se tem dado ênfase a horta urbana para o cultivo de diversos vegetais em casa.

Em algumas cidades em vários continentes do mundo se têm criado legislações que incentivam o cultivo de vegetação em casa, a exemplo, do Canadá, Alemanha, Dinamarca, Suíça e México. Todos esses países possuem alguma legislação que incentiva o cultivo de vegetais em casa por diversos benefícios: cultivos para o consumo doméstico; absorção das enxurradas; redução da temperatura urbana; mudanças bruscas de temperatura e melhoria da qualidade do ar nas cidades. Acesse o link: “Cultivo de Vegetação nos Telhados de Casa”.

Atualmente cada vez mais pessoas decidem fazer em sua casa uma horta para cultivar plantas que possa ser usada na alimentação cotidiana; são vegetais, legumes, plantas aromáticas e medicinais, frutas, flores e brotos.

A mensagem é ser mais sustentável e reduzir o desperdício – é a necessidade de tentar educar e mudar hábitos. Também se pode produzir nos próprios quintais vegetais de boa qualidade para o consumo próprio à preços mais baixos, além da ocupação do tempo com uma atividade produtiva.

Qualquer espaço é válido para explorar e cultivar as hortaliças que costumamos comprar no supermercado, feiras livres ou lojas especializadas. No quintal, varanda, ou terraço pode ser combinado um jardim de flores, arbustos, árvores ornamentais com uma horta urbana de plantas comestíveis. Ver também: Horta vertical é uma alternativa para produção de verduras nas cidades.

  1. Benefícios de uma horta urbana.

Ao se efetivar uma horta urbana pode-se obter além dos nossos próprios vegetais muitas outras vantagens: Ajuda a descontrair e relaxar do trabalho diário; Cria mais espaços verdes contribuindo para melhorar o ambiente das cidades; Se obtém alimentos de qualidade cultivados da forma mais ambientalmente possível; Tem-se a satisfação de sermos capaz de termos semeado, acompanhamos o desenvolvimento das plantas e colhemos o produto; Tem-se o prazer em proporcionar educação ambiental as crianças ao conviverem em um meio mais ecológico além de se ter uma dieta com mais vegetais; e por fim proporciona uma ajuda à economia familiar.

2. Alguns cuidados a observar na implantação de uma horta urbana.

Para um desenvolvimento pleno das plantas e uma boa produção, alguns fatores técnicos deverão ser observados na condução das hortaliças, tais como escolha do terreno, preparo do solo, adubação, irrigação, tratos culturais e tratos fitossanitários. Em seguida apresentaremos para essas práticas os principais cuidados a serem adotados na condução de uma horta urbana.

  • Escolha do terreno e preparo do solo.

A escolha do terreno para instalação da horta doméstica deve recair sobre um terreno plano, bem drenado, livre de sombra, cercado, perto da casa e água, distante de estradas e instalações sanitárias. Quando houver pouca disponibilidade de terreno, a horta urbana poderá ser feita no quintal.

Inicialmente deverá ser feita a limpeza da área, retirando pedras, tocos e raízes.  O solo deverá ser descompactado com enxada, pois as hortícolas precisam de solo fofo e adubado, os canteiros devem possuir uma altura mínima de 15 cm, sendo a largura e comprimento feitos de acordo com seu espaço.

  • Adubação.

A adubação proposta é feita através da aplicação de adubos orgânicos. Nos canteiros deverá ser realizada a adubação de fundação do plantio e de cobertura. O adubo na fundação será aplicado no canteiro antes do plantio, durante o preparo do solo. O esterco deve ser bem curtido e misturado com a terra antes do plantio para se evitar a queima das raízes das plantas recém germinadas ou mudas transplantadas.

É importante observar que após feita a adubação de fundação da cultura, para se obter um melhor efeito com o solo, o local deve ficar parado em descanso por três semanas. Após esse período as mudas ou as sementes poderão ser plantadas.

A adubação de cobertura é feita nas fases posteriores, quando a planta precisa de um suprimento para sua formação, frutificação, rebrota e também para aumentar o tamanho e o número de folhas em culturas de ciclo mais longo.

O adubo deve ser composto por esterco bovino bem curtido ou outro preferencialmente de fonte orgânica, é o caso de esterco de aves, húmus de minhocas e composto vegetal. O adubo pode ser adquirido nas lojas de jardinagem.

A quantidade de esterco bovino para cada canteiro deve ser: 2,5 kg de esterco para cada m² de canteiro espalhados e misturados com a terra. A cada 4 meses deverá ser incorporado ao redor das plantas permanentes uma camada de esterco, podendo ser usado húmus de minhoca ou outro composto orgânico. Quando se usa esterco de aves utiliza-se um terço da quantidade recomendada de esterco bovino.

  • Substrato para vasos.

O solo em que as plantas vão ser semeadas e irão se desenvolver em jarros é um substrato em que é composto geralmente por areia vegetal, barro e esterco de curral. Poderá ser adquirido pronto nas lojas de jardinagem.

No período de um ano deverá ser incorporado 3 vezes o esterco ao vaso aproveitando para afofar a terra. Pode também ser usado húmus de minhoca ou outro composto orgânico.

  • Irrigação.

As hortaliças de modo geral necessitam da disponibilidade de água para seu pleno desenvolvimento e produção. É recomendável que sejam feitas irrigações diárias até 30 dias após o plantio, depois, pelo menos 3 vezes por semana. A dosagem de água deve ser controlada de modo a não deixar o solo seco, no entanto, a umidade excessiva aumenta a proliferação de bactérias podendo ocasionar o aparecimento de doenças nas lavouras ou afetar as raízes que precisam de oxigênio. De outra parte, quando  irrigar procure não molhar muito as folhas, para evitar o surgimento de fungos.

A melhor hora para fazer as regas é até nove horas da manhã, e à tarde após as dezesseis horas, o importante é que seja nos horários mais frescos.

  • Tratos Culturais.

Desbaste: a raleação deve ser feita para diminuir o número de plantas no canteiro quando se faz o semeio direto possibilitando um maior desenvolvimento das plantas que ficam.

Amontoa: juntar terra no pé das plantas para proteger as raízes.

Tutoramento: algumas hortaliças precisam de tutoramento para as plantas. É uma vara de madeira como suporte para as plantas não tombarem a exemplo do tomate e do pimentão.

Controle das plantas invasoras: É a eliminação das espécies invasoras para reduzir a competição por água, nutrientes, luz, espaço ou para eliminar possíveis hospedeiras de insetos pragas ou doenças.

Cuidados na sementeira: Quando for preparado mudas em sementeira deve-se ter alguns cuidados para gerar uma muda saudável para ir ao campo e gerar uma planta produtiva. Na sementeira a terra deve ser isenta de sementes de outras ervas para evitar doenças e competição; deve-se dar preferência a solos arenosos, onde a germinação das sementes é mais fácil e evita-se o encharcamento. A sementeira deve ser coberta para evitar a incidência direta de raios solares e chuva. A cobertura pode ser feita com palha ou tela. Ver: Sementes de hortaliças: método prático para germinação.

Transplante: é quando a muda é produzida na sementeira e transplantada para o canteiro. Essa operação é feita quando a planta já possua 4 a 8 folhas definitivas e raízes desenvolvidas.

Controle fitossanitário: Para quem deseja cultivar a sua própria horta, pomar, flores ou plantas medicinais, pode utilizar a área de serviços, varanda, quintal ou jardim. No entanto deve ser feito o monitoramento do desenvolvimento das plantas, para observar a presença de insetos-pragas ou sintomas de doenças, isso porque normalmente as plantas sofrem ataques de pragas como insetos, parasitas e fungos que, se não forem controlados, poderão inviabilizar o desenvolvimento das plantas e até chegar a matá-las.

Os inseticidas e fungicidas caseiros têm em princípio algumas vantagens, a exemplo de serem econômicos, inócuos para a saúde, geralmente são biodegradáveis e também são de fácil aplicação e de certa forma seletivos, não prejudicando a fauna útil.

Quando começar a aparecer as primeiras pragas nas plantas dos jardins, hortas, estufas ou pomares, pode-se erradica-las com o uso de produtos químicos comercializados nas lojas de agroquímicos. Porém apesar da eficiência desses produtos, há a necessidade de cuidados especiais na aplicação e dosagem em virtude de sua toxidade.

A utilização de inseticidas e fungicidas comerciais utilizados na agricultura de larga escala, não é recomendado para uso em hortas e pomares caseiros, pois sua aplicação requer conhecimento técnico especializado, treinamentos e equipamentos adequados.

Para controlar os insetos, parasitas e fungos que atacam as hortas, pomares e jardins domésticos, há algumas receitas de inseticidas e fungicidas caseiros que ajudarão com segurança a manter longe esses insetos e patógenos indesejados. Esses defensivos são de pouca toxidade ao homem e animais domésticos de acordo com os princípios de respeito ao meio ambiente, conforme se utiliza na agricultura orgânica.

Para maiores detalhes consultar o link Inseticidas e fungicidas caseiros são de fácil preparo e aplicação, aonde serão apresentadas várias formulações de receitas de inseticidas e fungicidas caseiros para combater as pragas e os fungos mais comuns. Deverá ser escolhida aquela direcionada ao inseto, parasita ou fungo que se deseja controlar, associado a disponibilidade dos ingredientes para sua formulação.

3. Como começar uma horta urbana.

Ao concretizar a implantação de uma horta urbana podemos iniciar com as hortaliças de menor porte e que sejas fácies de cultivar como tomate, coentro, alface, couve, cebolinha, hortelã, manjericão, espinafre, rúcula, pimentão, pimenta, gengibre, alho e brócolis. Todos estes vegetais podem crescer relativamente fácil e rápido em casa.

Horta urbana: tomate

Tomate.

A multiplicação é realizada por sementes que podem ser adquiridas no mercado em lojas de jardinagem ou produtos agrícolas ou retiradas de frutos maduros e livre de doenças. Neste caso as sementes devem ser lavadas e colocadas para secar durante 3 dias.

As sementes poderão ser semeadas diretamente em vasos a 2 cm de profundidade ou em canteiros com espaçamento de 1,0 m entre as fileiras e 0,40m entre as plantas.

Por se tratar de trepadeira é necessário um tutor como suporte da planta. Quando adulta o tomateiro pode alcançar até 1,70 m. Deve-se regar duas vezes por semana ou mais no calor se o solo se encontrar muito seco. A colheita do tomate inicia-se em 8 a 9 semanas após o plantio. Ver também: Tomate cereja orgânico em casa durante todo o ano.

Horta urbana: coentro

Coentro.

O coentro pode ser cultivado em canteiros ou em vasos de preferência com pelo menos 30 cm de profundidade, pois a planta tem uma longa raiz primária. No canteiro o espaçamento deve ser de 20 cm entre linhas e 8 cm entre plantas.

O coentro pode ser plantado através de sementes ou utilizando o caule enraizado, neste caso os caules poderão ser plantados diretamente no canteiro ou vaso com boa iluminação que rebrotarão.

As sementes serão plantadas no local definitivo no canteiro ou vaso, a até 1 cm de profundidade.

A colheita das folhas do coentro pode começar a partir dos trinta dias depois da germinação. Pode ser colhida a planta inteira ou apenas as folhas mais externas, procurando não retirar mais do que um terço das folhas para não enfraquecer muito a planta.

Deverá deixar algumas plantas para colheita das sementes, os frutos devem ser colhidos quando estiverem amarelados ou quase secos, colocando-os em um recipiente em local ventilado e na sombra, para terminarem de secar.

Horta urbana: alface

Alface.

Para propagação da alface, uma alternativa é colocar o caule desfolhado em um recipiente com água rasa e muita luz natural, em poucos dias, as raízes e as folhas novas aparecem, e podem ser transplantadas para o canteiro ou vaso com 20 a 30 cm de profundidade. Outra alternativa é plantar diretamente no canteiro ou vaso, com o solo bem umedecido, o caule enraizado da planta que foi adquirida no mercado para o consumo após a retirada das folhas, deixando o broto apical. No canteiro o espaçamento deve ser de 30 cm entre plantas e entre linhas.

Quando utilizar sementes que são vendidas em lojas de jardinagem ou materiais agrícolas, colocar três sementes no local definitivo, canteiro ou vaso e espalhar apenas um pouco de substrato por cima borrifando o solo diariamente até a terra ficar ligeiramente umedecida. Se germinar mais de uma semente, convém deixar apenas uma planta.

Outra alternativa é plantar as sementes em um copo descartável com o substrato e furado em baixo para drenagem da água. Neste caso as mudas deverão ser transplantadas para o canteiro ou vaso quando tiverem entre 5 a 7 folhas. É preciso algum cuidado quando transplantar, deve-se deixar a terra protegendo as raízes.

Pode-se começar a colher as folhas de alface cerca de 60 dias após o plantio. É importante salientar que não é preciso arrancar o pé inteiro, podendo fazer colheitas parciais conforme a necessidade, retirando sempre as folhas de fora. Uma boa opção é ao colher as folhas de alface de uma planta adulta cortar o pé de alface deixando 10 centímetros de talo na terra para que a planta brote novamente. Ver também: Alface: rica em fibras, vitaminas e minerais é o ouro verde para o seu corpo.

Horta urbana: couve

Couve.

Assim como a alface, uma forma de cultivar a couve é replantar o caule enraizado da planta que foi adquirida no mercado diretamente no local definitivo, canteiro ou vaso, com o solo bem umedecido. O plantio também pode ser feito através de sementes e algumas cultivares podem também ser propagadas por rebentos retirados de plantas adultas. Estes rebentos devem ser retirados preferencialmente da base da planta, já com aproximadamente 20 cm de comprimento ou mais. Os rebentos laterais da couve enraízam facilmente em solo úmido.

Quando for se propagar através da germinação de sementes, planta-se as sementes para formação de mudas, em copos descartáveis com o substrato e furado em baixo para drenagem da água, dessa forma coloca-se cerca de 3 sementes e espalhando-se 1 cm do substrato sobre as sementes. Em cerca de 10 dias ocorre a germinação e em 30 a 35 dias já se tem uma muda com cerca de 10 a 15 cm com torrão pronta para o transplante. Deve-se deixar a planta mais vigorosa.

A planta pode ser cultivada em canteiros ou em vasos com 30 cm. O espaçamento a depender da variedade é geralmente de 80 cm a 1 m entre as linhas de cultivo e de 50 cm entre as plantas. Dentro de certos limites, quanto maior o espaçamento, maiores serão as plantas e maiores serão suas folhas. No vaso são necessários 20 centímetros de profundidade para a couve crescer e de no mínimo 25 centímetros de diâmetro. No canteiro, calcule de acordo com a variedade e as condições de cultivo.

A colheita é feita por volta de noventa dias após o plantio devendo-se ir retirando as folhas de baixo mais velhas mantendo pelo menos 5 folhas no pé para não enfraquecer a planta e caso o pé de couve fique muito alto, podemos podar o cume da planta para fortalecer o crescimento dos brotos laterais. Plantas jovens podem ter suas folhas colhidas, mas isso pode prejudicar o crescimento das plantas. Em condições adequadas, a couve pode produzir por alguns poucos anos sem necessidade de replantio.

Horta urbana: cebolinha e coentro

Cebolinha.

Para o cultivo da cebolinha há uma forma muito simples a partir de um maço de cebolinha com raízes adquirido no mercado. As cebolinhas podem voltar a crescer cortado o talo três dedos acima das raízes e plantando-os diretamente no local definitivo, canteiro ou vaso com o substrato bem úmido.

Quando for ser efetuada a colheita pode-se cortar as folhas deixando o talo a dois centímetros sobre as raízes para que ocorra a renovação das folhas. O espaçamento no canteiro deverá ser de 20 cm entre linhas e 10 cm entre plantas. A colheita das folhas da cebolinha-verde pode começar entre 80 a 120 dias.

Horta urbana: hortelã

Hortelã.

A Hortelã é uma planta que cresce vigorosamente e multiplica-se por meio de rizomas. Primeiro efetue o desbaste das folhas do caule preservando as raízes e as folhas do topo. O plantio poderá ser feito no local definitivo canteiro ou vaso. O espaçamento varia conforme a espécie, mas um espaçamento de 30 a 40 cm entre as plantas é o mais recomendado.

A colheita pode ser feita a partir do momento em que as plantas se encontram bem desenvolvidas. Corte as hastes acima do primeiro ou segundo par de folhas colhendo as folhas necessárias. É possível fazer a colheita de todas as hastes três vezes por ano, por até seis anos sem necessidade de replantio.

Horta urbana: manjericão

Manjericão.

Uma forma prática para multiplicar o manjericão é através das estacas ou ramos novos, pois se enraízam com muita facilidade, se deixados em um copo com água, antes de plantar.

Primeiro retira-se as folhas que saem dos 2 ou 3 nós inferiores e coloca-se os ramos novos e as estacas em copos plásticos com água, trocando diariamente a água. Passados em torno de 7 dias mergulhadas em água, os ramos novos e as estacas, começam a emitir raízes.

Planta-se as estacas e os ramos enraizados em copos plásticos com o substrato, furados, para drenagem.

Uma boa condução da planta depende da poda inicial. Assim que a planta atingir o comprimento de 30 cm, no local definitivo, pode-se fazer uma poda deixando apenas 3 a 4 nós no caule. A colheita é feita quando os ramos alcançarem pelo menos 10 cm de comprimento.

Horta urbana: espinafre

Espinafre

O cultivo do espinafre realizado através de sementes é feito semeando diretamente no local definitivo seja no canteiro da horta ou num vaso. As sementes podem ficar até 1 cm de profundidade no solo e geralmente levam uma ou duas semanas para germinarem.

No canteiro serão plantadas 3 sementes a cada 20 cm com 30 cm de separação entre as filas. Um espaçamento pequeno entre plantas aumenta a produtividade por área, mas um espaçamento maior possibilita a colheita de plantas maiores.

As folhas do espinafre podem ser colhidas individualmente a partir de 60 a 80 dias após o plantio. Colhe-se as folhas mais externas que estão mais desenvolvidas.

O espinafre também pode ser arrancado inteiro ou pode ser cortado a aproximadamente 2,5 cm acima do solo, sendo que neste último caso a planta pode rebrotar e produzir nova colheita.

Horta urbana: rúcula

Rúcula.

Para o plantio da rúcula distribua as sementes diretamente no local definitivo, superficialmente aplicando o substrato sobre as sementes ou a uma profundidade não superior a 0,5 cm no solo. Na semeadura usa-se apenas 0,2 grama de semente por metro linear. As sementes germinam normalmente em 4 a 8 dias. Quando as plantas atingem cerca de 10 cm de altura, o excesso de plantas pode ser colhido para que seja atingido um maior desenvolvimento.

O espaçamento recomendado varia com a variedade cultivada, as condições de cultivo e o estágio de desenvolvimento no qual as plantas serão colhidas, podendo ser de 20 a 30 cm entre as linhas de cultivo e 10 a 30 cm entre as plantas.

A colheita da rúcula pode ser feita a partir de 30 a 50 dias, arrancando toda a planta ou colhendo apenas as folhas bem desenvolvidas, de forma que a colheita pode se estender por semanas. Em qualquer caso, a colheita deve ser feita antes que a planta comece a florescer, pois neste estágio as folhas geralmente se tornam mais fibrosas e amargas. A colheita é feita preferencialmente arrancando-se a planta inteira, com folhas e raízes. Porém, pode-se apenas retirar as folhas para permitir nova brotação. Nesse caso, elas devem ser cortadas acima da gema apical.

Horta urbana: pimentão

Pimentão.

As sementes de pimentão podem ser semeadas diretamente no local definitivo. As sementes devem ficar a aproximadamente 0,5 cm de profundidade no solo, manter a terra úmida e a germinação geralmente ocorre em 1 a 3 semanas.

Em canteiro o espaçamento recomendado é de 60 a 120 cm entre as linhas de plantio e 40 a 60 cm entre as plantas, variando com a cultivar e as condições de cultivo. O pimentão pode ser cultivado em vasos, mas estes devem ter uma profundidade e um diâmetro de pelo menos 35 cm para que as plantas se desenvolvam bem.

No caso de preferir plantar em sementeiras ou copos plásticos, quando a muda tiver 6 folhas verdadeiras (o primeiro par é chamado de folhas falsas) podem passar para o local definitivo.

Normalmente podem começar a colher pimentões da horta em casa após 12 semanas de os terem plantado, mas pode ser antes ou depois, uma vez que depende muito das condições e de como a planta se desenvolveu. Assim que o pimentão estiver grande e verde pode ser colhido, mas se preferirem pode deixar na planta até que ele fique vermelho.

Esta planta geralmente é cultivada como anual, mas é uma perene de vida curta e em condições adequadas pode produzir frutos por alguns anos.

Horta urbana: pimenta

Pimenta.

Assim como o pimentão a pimenta pode ser semeada diretamente no local definitivo. As sementes devem ficar a aproximadamente 0,5 cm de profundidade no solo, manter a terra úmida. No solo as sementes germinam geralmente em 1 ou 2 semanas, porém as sementes podem apresentar dormência e podem levar um longo tempo para germinar, especialmente se a temperatura estiver abaixo de 20°C.

O espaçamento recomendado varia com o porte da pimenteira e com as condições de cultivo. Geralmente o espaçamento adequado se encontra entre 20 cm e 60 cm entre as plantas, com linhas de cultivo espaçadas de 60 cm a 120 cm, variando com a cultivar e as condições de cultivo. A pimenta também pode ser cultivada em vasos com um tamanho apropriado de acordo com o porte da cultivar a ser plantada.

No caso de preferir plantar em sementeiras ou copos plásticos, O transplante para o local definitivo é feito quando as mudas atingem de 8 a 10 cm de altura.

A colheita das pimentas inicia-se geralmente de 3 a 5 meses após a semeadura, dependendo da cultivar e das condições de cultivo. Os frutos podem ser colhidos verdes ou maduros.

A pimenteira é uma planta cultivada geralmente como anual, mas é uma perene de vida curta e em condições adequadas pode produzir bem por alguns anos.

Horta urbana: gengibre

Gengibre.

O plantio do gengibre é feito com pedaços de rizomas de 3 a 5 cm de comprimento. Os gomos ou pedaços de rizoma, com uma ou duas gemas cada, são plantados no local definitivo da plantação a até 5 cm de profundidade, em canteiros ou vasos. Se o rizoma já tiver brotos verdes, melhor. O rizoma já brotado basta você dividir, deixando um brote por vaso, acima da terra.

O espaçamento entre as plantas pode ser de 70 a 90 cm entre as linhas de plantio e de 30 a 50 cm entre as plantas. Diminuir o espaçamento entre as plantas aumenta a produção, mas dificulta a colheita, que geralmente acaba danificando os rizomas.

O gengibre também pode ser cultivado em vasos. Em regiões de inverno frio, o plantio em vasos é o ideal em plantações domésticas, deixando o vaso dentro de casa durante os meses frios do ano.

Em plantações domésticas, não é necessário colher a planta inteira. Uma parte do solo pode ser escavada em torno da planta, de forma a expor um pedaço do rizoma. Este é colhido, deixando o resto da planta intacta para continuar seu crescimento. Desta forma a planta pode viver por vários anos, sem necessidade de replantio.

A colheita do gengibre pode ocorrer de 7 a 12 meses após o plantio, quando as hastes e folhas começam a ficar amareladas. As plantas podem ser arrancadas com cuidado a mão ou a terra pode ser revirada, por exemplo, com forquilhas, para expor os rizomas, que são então lavados e deixados secar por um ou dois dias. A partir de 3 a 4 meses, já poderá colher seus rizomas para uso, sem estragar a planta. Para isso você deve revirar, com a mão, a terra, para encontrar os rizomas maduros. Só corte a quantidade que vai precisar e cubra de novo com a terra, o que fica.

Alho.

alho e seus benefícios

O alho apresenta muitos benefícios para a saúde e na cozinha. Ver link: Alho e seus benefícios, usos e propriedades medicinais. http://desenvolvimentorural.com/alho/.

Para o seu cultivo remova os bulbilhos ou dentes com cuidado para não danificar a base. Plante os dentes de alho no solo mantendo as pontas viradas para cima. Os buracos deverão ter 5 centímetros de profundidade.

Os alhos devem ser separados a uma distância de 20 centímetros uns dos outros para melhor desenvolvimento. Cubra os alhos plantados terra vegetal, folhas secas, palha ou esterco bem curtido.

Regue as plantas uma vez por semana caso não tenha chovido. Os alhos recentemente plantados precisam ser mantidos úmidos para que as raízes se desenvolvam. Diminua a frequência das irrigações quando os bulbos estiverem crescendo. Cerca de 10 a 20 dias antes da colheita, suspenda a irrigação.

Observe os sinais de que os alhos estão prontos para a colheita. Os alhos podem ser colhidos quando as folhas devem ficar amarelas ou marrons.

Normalmente uma colheita de alho é feita depois de 6 meses depois do plantio, quando o seu pé atingir de 30 a 40 centímetros. Na colheita deve-se afofar a terra ao redor de cada bulbo. Puxa-se os bulbos para fora do chão com cuidado para não os danificar.

Após a colheita lave-os e deixe-os secar em um espaço bem ventilado não deixando exposto ao sol por muito tempo para não, queimar. Ver também: Alho e seus benefícios, usos e propriedades medicinais.

Brócolis.

brócolis

O brócolis pode ser plantado em vários ambientes, sendo externos ou mesmo internos, podendo ser cultivado em pequenos recipientes. É uma opção viável para quem pratica agricultura urbana onde moram em casa ou apartamento. O processo de plantio é simples, mas requer cuidado, já que o brócolis é sensível às variações de temperatura.

O brócolis de rama é mais indicado. As sementes podem ser colocadas diretamente no solo ou as mudas podem ser preparadas para serem transplantadas. Neste caso uma pré-seleção das melhores plantas é realizada antes do transplante.

Quando plantadas em sementeiras, vasos pequenos, copinhos de plástico ou de jornal, as mudas devem ser transplantadas quando tiverem de 4 a 6 folhas verdadeiras. A germinação ocorre geralmente em menos de uma ou duas semanas.

As sementes devem ser plantadas com uma profundidade de 0,5 cm a 1 cm e devem ser cobertas com solo e matéria orgânica. Cada buraco deve conter 2 ou 3 sementes.

O substrato pode ser adquirido pronto em lojas de jardinagem. Quando da semeadura deve-se colocar de 2 a 3 sementes no centro do vaso, tendo como um cuidado colocar a semente a 1 centímetro de profundidade.

É importante que se use adubos orgânicos como esterco de curral para alcançar o equilíbrio ou outro adubo que contenha os micronutriente boro e molibdênio.

Entre cada planta recomenda-se um espaçamento de 30 cm a 60 cm, já entre as filas do plantio, o espaço deve ser de pelo menos 60 cm a 1 m de distância.

Os brócolis-de ramas são mais tolerantes ao calor e podem crescer bem em temperaturas médias mais altas, de até 28°C.

A irrigação do brócolis deve ser feita com cuidado, pois o solo deve ser mantido úmido, mas não muito. O excesso de água aumenta a proliferação de bactérias e doenças, portanto, deve ser evitada. Quando irrigar procure não molhar muito as folhas, para evitar o surgimento de fungos.

O tempo de colheita do tipo de rama varia entre 60 e 90 dias. O brócolis de rama oferece a vantagem de ser mais produtivo, porque tem inflorescências em intervalos de 5 a 10 dias até o final da floração. Ver também: Brócolis: suas propriedades e benefícios para a saúde.

One thought on “Horta urbana: como cultivar hortaliças em casa e obter seus benefícios”

Deixe uma resposta