granja autossuficiente

Granja autossuficiente numa área de apenas meio hectare

Há vários conceitos diferente de como estabelecer uma granja autossuficiente numa área de apenas meio hectare e é pouco provável que existam duas ideias que sigam o mesmo planejamento ou que estejam completamente de acordo sobre como definir os diferentes espaços. Há pessoas que têm receio de alguns animais, como as vacas ou cabras, e não sabem como poderão mantê-las. Outras pessoas podem não querer abater os animais e preferem vender o excedente; e finalmente, existem pessoas que abatem os seus próprios animais para proporcionar a sua família uma carne saudável.

Em apenas meio hectare de terra é possível criar uma vaca e uma cabra, alguns porcos e uma dúzia de galinhas além de cultivar alguns vegetais. A cabra pode fornecer o leite quando a vaca não estiver no período de lactação. Talvez se possa ainda criar duas ou mais cabras. Ao se criar uma boa vaca leiteira ela poderá fornecer também o soro do leite para alimentar os suínos. Mais importante ainda é que com o esterco dos animais se possa adubar o solo em toda a área sem ter que usar fertilizantes químicos, que de outra forma, teria que usar.

Criar uma vaca leiteira.

Os prós e os contras são muitos e variados no estabelecimento de uma granja autossuficiente. Em favor de se criar uma vaca leiteira o argumento é que não há nada melhor para se manter uma alimentação saudável para a família, além dos benefícios para a granja como um todo.

Se o agricultor tem um certo conhecimento do leite pasteurizado e dos produtos lácteos industrializados, as vezes adulterados, então ele vai perceber o quão importante é para a família um leite fresco e cru. Os suínos e aves também poderão receber a sua quota de leite, especialmente o soro, que é uma fonte proteica saudável. De outra parte, se a horta é fertilizada com o esterco de vaca, isto irá aumentar a sua fertilidade e se obterá um maior rendimento das culturas.

Por outro lado, o alimento da vaca e animais vai significar algumas despesas a cada ano. Mas em comparação com o benefício obtido, a economia em não comprar produtos lácteos, ter um leite fresco, mais os melhores ovos que se possa obter, carne de frango e carne de porco e o aumento da fertilidade dos solos, logo se vai perceber que uma vaca é um bom investimento.

No entanto, há uma questão que se tem que assumir: a responsabilidade da ordenha da vaca. Ordenhar uma vaca não requer muito tempo, talvez cerca de oito a dez minutos e é muito agradável faze-lo se for uma vaca dócil e tranquila, porém tem que fazê-lo. A compra de uma vaca leiteira é algo muito importante e não deve se adquirir se for passar algum tempo ausente, a menos que alguém cuide da ordenha, enquanto se estiver fora.

Então, vamos planejar uma granja autossuficiente de 0,4 hectares no caso em que teremos uma vaca leiteira.

Granja autossuficiente de 0,4 hectares com uma vaca.

A metade da superfície da granja autossuficiente se destinará para pastagens (0,2 ha), deixando a outra metade para culturas (não levando em conta o espaço ocupado pela casa e outras construções circundantes). A metade da pastagem (0,1 ha) poderá ser usada para pastagens permanentes e nunca os cultivar, a menos que se planeje rotações de cultivos, que poderiam ser renovados a cada quatro anos. Se isso for feito, é melhor dividir a área de pastagens (0,2 ha) em quatro partes de modo que se plante capim, leguminosas e outras gramíneas forrageiras. Através dessa rotação de culturas se obtém pastos recém plantados a cada ano, também se terá parte com dois anos de idade, parte com três anos e outra com quatro, resultando assim na terra mais produtiva.

Pastagens.

Ao primeiro sinal de que o pasto esteja sofrendo por excesso de pastoreio, coloque a vaca em outro lugar. A gramínea cresce melhor e produz mais se deixar crescer um tempo antes de se fazer o pastoreio novamente. Na criação intensiva que estamos propondo para uma granja autossuficiente, a forma de se fazer o pastoreio é uma questão essencial.

granja autossuficiente
Vaca da raça Jersey para uma granja autossuficiente

A utilização de corda para controlar a vaca em uma área pequena pode funcionar melhor do que a utilização de cercas. Vacas rapidamente se acostumam a ser amarradas, e é de fato o sistema utilizado na ilha de Jersey. Recomenda-se uma vaca da raça Jersey para a exploração dessa granja autossuficiente de 0,4 ha, porque para este propósito parece ser o melhor. É uma vaca de porte pequeno, fácil manejo e produtora de leite.

Na área de pastagens (0,2 ha), uma vez que já tenha se formado, deverá proporcionar a vaca a maior parte da alimentação. É possível se alocar parte desta área para o cultivo de feno, porém se a pastagem cresce mais rápido do que a vaca possa comer, então se pode reduzir a área para produção de feno.

Horticultura intensiva.
granja autossuficiente
Granja autossuficiente

A outra metade da área (0,2 ha) será intensamente cultivada. Ela será dividida em parcelas, onde será feita a rotação de culturas: batatas, feijão, cenoura, beterraba, tomate, coentro, alface, couve, cebolinha, hortelã, manjericão, espinafre, rúcula, pimentão, pimenta, gengibre e alho. Ver também, “Horta Urbana: como cultivar hortaliças em casa e obter seus benefícios”.

Todos os resíduos das culturas poderão ser consumidos pela vaca, porcos ou aves de capoeira, e depois de seguir um plano de rotação de culturas e pastoreio durante alguns anos, é bem provável que os solos tenham aumentado em fertilidade, produzindo mais alimentos do que muitas granjas de 10 ha ou mais que são exploradas para fins comerciais.

As hortaliças têm ciclos definidos, isto é, não são perenes e há um tempo entre semeadura, plantio e colheita, com estações definidas. Após a colheita em geral a planta perece dando espaço para outro cultivo. Pode-se então, ter de duas a três culturas diferentes no mesmo canteiro ao longo do ano.

Para o cultivo de horta, pomar, flores ou plantas medicinais, é importante registrar que as plantas sofrem ataques de pragas como insetos, parasitas e fungos que, se não forem controlados, poderão inviabilizar o seu desenvolvimento ou até chegar a matá-las. Ascese link “Inseticidas e Fungicidas Caseiros são de Fácil Preparo e Aplicação” e veja em nome da sustentabilidade e outros benefícios, as diversas razões e os cuidados a observar para o cultivo de hortas e pomares.

A rotação de culturas em 0,2 ha.

Há que se observar que ao se ter metade da área, (0,2 ha) com pastagens, limita o espaço da horta a apenas 0,2 ha. Mas na verdade talvez produza mais alimentos do que se cultivasse a área inteira sem rotação, já que com a rotação de culturas aumenta muito a fertilidade do solo. Vai se obter mais produção nesta parcela que se utilizasse a área inteira, sem descartar os animais e a pastagem.

Dicas para uma granja autossuficiente.

Deve-se manter a vaca em uma camada de palha, para que se forme uma boa fonte de adubo, podendo-se adicionar mais palha a cada dia.

Com as sobras do leite da vaca se pode fazer uma boa manteiga e queijo, que podem ser armazenados sem problemas.

O espaço em que a vaca seja mantida pode ter o piso cimentado, lançando-se uma cama de palha diariamente. Deve-se eliminar e empilhar a palha suja todos os dias, resultando na obtenção de uma compostagem suficiente para adubar a área inteira.

Os porcos também serão confinados em um abrigo que também pode ser forrado com palha. A área sendo pequena é pouco provável que a terra esteja fresca o suficiente para mantê-los saudável. O melhor seria um abrigo móvel, embora se poderia ter uma pocilga permanente no lugar.

Os porcos podem passar também parte do tempo no espaço das pastagens e podendo ir para área das culturas após efetuada a colheita. Isso só poderá ser feito se houver tempo suficiente antes do plantio da próxima safra.

Em relação a alimentação, se faz necessário comprar algum suplemento como o milho, soja ou o uso de alternativas mais baratas, mas que garantam a qualidade da alimentação. Entre os substitutos há o triticale, sorgo, trigo, cevada, centeio e milheto. Esta dieta, suplementado com leite desnatado e soro de leite e alguns produtos da horta especialmente destinados a culturas forrageiras, será suficiente para alimentá-los.

granja autossuficiente
Criação de suínos

Pode-se criar cerca de 20 leitões por ano, dois ou três dos quais poderiam ser mantidos para engorda e fornecimento de presunto, bacon e outros produtos. Os outros poderiam ser vendidos como leitões desmamados (leitões de 8 a 12 semanas de idade), o que irá gerar renda suficiente para pagar as rações que se teria que comprar para os outros animais. Se não tiver um reprodutor, pode-se comprar animais desmamados para que possa engordar.

granja autossuficiente
Criação de galinhas

As aves de capoeira podem ter um abrigo permanente num dos cantos do horto, ou de preferência em compartimentos móveis, já que podem ser colocados em diferentes locais para fertilizar o solo com os seus excrementos. Uma dúzia de galinhas são suficientes para produzir ovos para suprir uma família, com alguma sobra para vender ou doar. Ter-se-á que comprar alguns grãos para fornecer-lhes um suplemento de proteína, a menos que produza grãos suficientes. Pode-se plantar girassol, trigo ou outras culturas específicas para aves.

Se tiver uma cabra em vez de uma vaca, a cabra pode pastar de modo semelhante a vaca, no entanto, não terá muito soro de leite ou leite desnatado para fornecer aos porcos e aves de capoeira e não se acumula tanto estrume para fertilizar a terra, pelo menos tanto quanto poderia dar a vaca. Mas as cabras também são uma boa escolha.

As culturas da horta serão as frutas, hortaliças e legumes mais comuns, além de culturas forrageiras para alimentar animais. Tenha-se em conta que qualquer cultivo da horta é adequado para alimentar animais que podem consumir os resíduos. Também se pode elaborar compostagem com os restos das culturas da horta.

Referências:

Este artigo é um extrato de Autossuficiente e como viver a vida, escrito por John Seymour, publicado por Dorling Kindersley na Grã-Bretanha em 1976. O livro se tornou um clássico.

http://agriculturers.com/una-granja-autosuficiente-media-hectarea/

 

Deixe uma resposta