granja autosufissiente

Dieta mediterrânea e seus principais hábitos alimentares

A dieta mediterrânea é declarada pela UNESCO Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. Na Espanha a dieta mediterrânica é celebrada como uma filosofia de vida baseada numa maneira diferente de alimentação, cozinhar os alimentos, compartilha-los e desfruta-los. Uma dieta que é tão importante o que comemos quanto a forma de como prepara-los. É baseada na alimentação dos países que formam a região do mediterrâneo como Itália, Espanha, Grécia, Egito, Líbia, Marrocos, Turquia e Líbano, países banhados pelo mar Mediterrâneo.

É importante adotar os hábitos alimentares da dieta mediterrânea, comprando os produtos frescos e sazonais e elabora-los por nós mesmos, de forma simples, como são a maioria dos pratos do extenso receituário mediterrâneo. Também é importante desfrutar de refeições em família e fazer exercício físico. Em suma, ser mediterrâneos.


Dieta mediterrânea: seus hábitos principais

Azeite de oliva. Usar azeite de oliva como a principal fonte de gordura. É o óleo mais usado na cozinha mediterrânica. Um alimento rico em vitamina E, betacaroteno e ácidos graxos monoinsaturados que conferem as propriedades cardioprotetoras. Este alimento é um tesouro dentro da dieta mediterrânea e tem perdurado ao longo dos séculos entre tradições gastronômicas regionais, dando os pratos um sabor e aroma único.

Vegetais. Comer alimentos de origem vegetal em abundância: frutas, legumes, cogumelos e nozes. Os legumes e frutas são a principal fonte de vitaminas, minerais e fibras em nossa dieta e dar-nos ao mesmo tempo, uma grande quantidade de água. É essencial para consumir cinco porções de frutas e verduras diariamente. Graças ao seu alto teor de antioxidantes e fibras pode ajudar a prevenir, entre outros, algumas doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer.

Cereais. O pão e alimentos à base de cereais -pastas, e arroz, especialmente, seus produtos integrais- devem fazer parte da dieta diária. O consumo diário de massas, arroz e cereais é essencial por sua composição rica em hidratos de carbono que constituído por açúcares, são um dos três macronutrientes da nossa dieta (sendo os outros dois as gorduras e as proteínas). Eles fornecem uma parte importante da energia necessária para nossas atividades diárias.

Alimentos minimamente processados. Os alimentos minimamente processados, frescos e sazonais são os mais adequados. É importante aproveitar os produtos sazonais, já que, especialmente no caso das frutas e verduras, nos permite consumi-las no seu melhor momento, tanto em termos de fornecimento de nutrientes como por aroma e sabor. Esse hábito elimina da rotina alimentar uma série de aditivos químicos, além do excesso de sal e açúcar, comuns nos cardápios modernos.

Produtos Lácteos. Consumir diariamente produtos lácteos, principalmente iogurte e queijos. Nutricionalmente se deve destacar os produtos lácteos como excelentes fontes de proteínas de elevado valor biológico, minerais (cálcio, fósforo, etc.) e vitaminas. O consumo de leite fermentado (iogurte, etc.) se associa a uma série de benefícios para a saúde, pois estes produtos contêm microrganismos vivos capazes de melhorar o equilíbrio da microflora intestinal.

Carnes vermelha. Carne vermelha devem ser consumidos com moderação e pode ser como parte de guisados e outras receitas. As carnes processadas, em pequenas quantidades e como ingredientes de lanches. O consumo excessivo de gordura animal não é bom para a saúde. Portanto o consumo é recomendado em pequenas quantidades, carnes magras, de preferência, como parte de pratos à base de vegetais e cereais.

Peixes. Comer grande quantidade de peixes. Se recomenda o consumo de peixes pelo menos três a quatro porções semanais de pescada, tilápia, sardinha e salmão grelhados ou no forno, já que sua fonte de gordura, embora de origem animal, tem propriedades muito semelhantes às gorduras de origem vegetal as quais são atribuídas propriedades de proteção contra doenças cardiovasculares.

Ovos com moderação. Os ovos contêm proteínas de alta qualidade, gorduras e muitas vitaminas e minerais que os fazem em um alimento muito rico. Consumir três ou quatro ovos por semana é uma boa alternativa para carne e peixe.

Sobremesas. Frutas frescas teria que ser a sobremesa habitual. Doces e bolos devem ser consumidos ocasionalmente. As frutas são alimentos muito nutritivos que dão cor e sabor a nossa dieta diária e também são uma boa alternativa para o café da manhã e para o lanche da manhã e da tarde.

Água. A água é a bebida por excelência no Mediterrâneo. O vinho deve ser tomado com moderação e durante as refeições. A água é essencial na nossa dieta. O vinho é um alimento tradicional na dieta mediterrânea que pode ter efeitos benéficos à saúde consumindo-o com moderação e no contexto de uma dieta equilibrada.

Atividades físicas. Realizar atividade física todos os dias é tão importante quanto comer corretamente. Manter-se fisicamente ativo e realizar diariamente um exercício físico adaptado às nossas capacidades é muito importante para manter uma boa saúde.

Referências:

http://agroalimentando.com/nota.php?id_nota=1931

http://diariodegastronomia.com/decalogo-de-la-dieta-mediterranea/

 

Deixe uma resposta