análise do solo

Adubos orgânicos e sua importância para a agricultura ecológica

A necessidade de diminuir a dependência de produtos químicos artificiais nos diversos cultivos, está direcionando a uma busca de alternativas confiáveis e sustentáveis. Na agricultura ecológica, se dar grande importância aos adubos orgânicos, e cada vez mais, estão sendo utilizando em cultivos intensivos.

Não podemos esquecer a importância de melhorar diversas características físicas, químicas e biológicas do solo e, neste sentido, este tipo de fertilizante desempenha um papel fundamental. Os adubos orgânicos aumentam a capacidade que o solo tem em absorver os vários elementos nutritivos, os quais aportaremos posteriormente com os adubos minerais ou inorgânicos.

Atualmente se está à procura de novos produtos na agricultura que sejam completamente naturais. Há ainda empresas que estão procurando em diferentes ecossistemas naturais em todo o mundo, especialmente nas regiões tropicais, plantas, extratos de algas, etc., que se desenvolvam em diferentes sistemas e que lhes permitam crescer e proteger-se de doenças e pragas. Assim, em vários ambientes totalmente naturais, se reproduzem aquelas plantas que são mais interessantes por meio de técnicas de biotecnologia.

Nestes centros são produzidas diferentes substâncias vegetais para a produção de fertilizantes orgânicos e substâncias naturais, para serem aplicadas na agricultura. Para isso em diferentes laboratórios as substâncias mais interessantes são extraídas para fortalecer as plantas cultivadas em estufa, podendo também ser usadas em plantas ornamentais, frutíferas, etc.

Propriedades dos adubos orgânicos.

Os adubos orgânicos têm propriedades que exercem efeitos específicos sobre o solo, fazendo aumentar a fertilidade deste. Basicamente eles atuam no solo em três tipos de propriedades:

– Propriedades físicas.

  • O adubo orgânico por sua cor escura, absorve mais radiação solar, assim, o solo adquire mais calor e pode absorver mais facilmente os nutrientes.
  • O adubo orgânico melhora a estrutura e textura do solo, fazendo com que os solos argilosos fiquem mais leve e os solos arenosos mais compacto.
  • Eles melhoram a permeabilidade do solo, ao influenciar na drenagem e aeração do mesmo.
  • Eles reduzem a erosão do solo, tanto de água como de vento.
  • Aumentam a retenção de água no solo, para que a água seja melhor absorvida quando chove ou se irriga, e retém durante um longo tempo a água no solo durante o verão.

– Propriedades químicas.

  • Adubos orgânicos aumentar o poder de tamponamento do solo (resistência do solo à mudança de pH) e, consequentemente, reduz as flutuações no pH.
  • Aumenta também a capacidade de troca de cátions do solo, o que aumenta a fertilidade.

– Propriedades biológicas.

  • Os adubos orgânicos melhoram a aeração e oxigenação do solo, de modo que há uma maior atividade radicular e aumento da atividade de microrganismos aeróbios.
  • Os fertilizantes orgânicos constituem uma fonte de energia para os microrganismos, facilitando a sua multiplicação.
Tipos de adubos orgânicos.

O extrato de algas é geralmente um produto composto de carboidratos promotores do crescimento vegetal, cem por cento solúveis. Este produto é um ativador biológico, que atua promovendo a recuperação de culturas contra o stress, aumenta o crescimento vegetativo, a floração, a fertilização, a frutificação e a produção de frutos.

Outro tipo de fertilizante orgânico se baseia em ser um excelente bioestimulante e enraizante vegetal, devido ao seu conteúdo e aporte de auxinas natural, vitaminas, hormônio vegetal citocininas, microelementos e outras substâncias que favorecem o desenvolvimento e crescimento da planta inteira. Este segundo produto é facilmente assimilado pelas plantas através das folhas ou raízes, aplicando tanto foliar como radicularmente devido a diferentes agentes de assimilação contidos por todos os órgãos da planta.

Outro fertilizante orgânico contém um teor elevado de aminoácidos livres, o que significa que atua como ativador do desenvolvimento vegetativo, melhorando o tamanho e coloração dos frutos, etc. O fornecimento de ácidos aminados livres facilita a planta para economizar energia em sintetizá-los, facilitando ao mesmo tempo a produção de proteínas, enzimas, hormônios, etc., ao ser estes compostos importantes para todos os processos vitais das plantas.

Finalmente destacamos os fertilizantes orgânicos típicos, que possuem grande quantidade de matéria orgânica e, consequentemente, promovem a fertilidade do solo, aumento da atividade microbiana e facilita o transporte de nutrientes para as plantas através das raízes. As substâncias húmicas aumentam o conteúdo e distribuição dos açúcares nos vegetais, de modo que eleva a qualidade dos frutos e flores, aumentando a resistência ao murchamento. A contribuição de vários nutrientes é essencial para o desenvolvimento fisiológico normal da planta, uma vez que qualquer deficiência dos mesmos pode causar deficiências na planta que pode se manifestar de diferentes maneiras.

Alterações húmicas.

As alterações húmicas favorecem o enraizamento, já que desenvolvem e mantem um sistema radicular jovem e vigoroso durante todo o período vegetativo. O desenvolvimento radicular da planta com contribuição de alterações húmicas é enorme, e isso faz com que o desenvolvimento da mesma seja muito mais rápido, pois absorve mais nutrientes, e isso se traduz em aumento da produção.

Este fertilizante orgânico ao desenvolver mais raízes, equilibra também melhor a nutrição das plantas, melhora o desempenho destas frente a condições salinas e ajuda a eliminação de vários efeitos tóxicos. As raízes são a pedra angular de uma planta, e não podemos esquecer que servem como âncoras de solo. As raízes de plantas hortícolas são fasciculadas não distinguem um pivô principal. Eles consistem de uma série de troncos principais que aprofundam torto no solo e nas quais as raízes secundárias nascem.

A escassez de matéria orgânica, e, assim, de ácidos húmicos e fúlvicos dos solos, faz necessário o fornecimento dos mesmos ao solo. Dadas as dificuldades técnicas, logísticas e econômicas dos aportes massivos de esterco como fonte de matéria orgânica, os preparados líquidos a base de ácidos húmicos e fúlvicos, são essenciais para melhorar a fertilidade e a produtividade dos solos.

A leonardita é um lignito (rocha sedimentar macia formado pela compressão de turfa), de cor marrom, de origem vegetal. É a matéria-prima de substâncias húmicas, uma vez que tem um elevado teor de extrato húmico total.

Aminoácidos.

Outro elemento-chave nos fertilizantes orgânicos, são ácidos aminoácidos.

Desde de 1804 até hoje, fisiologistas de plantas demonstraram que em adição ao carbono, hidrogênio e oxigênio, são treze elementos químicos considerados essenciais para a vida das plantas. Destes, o mais importante é o nitrogênio. A fertilização tradicional nem sempre consegue atingir o seu objetivo. Situações de estresse hídrico, térmico ou fitotóxico podem impedir que as plantas absorvam o nitrogênio disponível e o utilizem para seus processos biossintéticos.

Estes problemas podem ser resolvidos, valendo-se dos conhecimentos mais modernos de fisiologia vegetal utilizando elementos básicos da biossíntese, ou seja, os aminoácidos. Os aminoácidos constituem a base fundamental de qualquer molécula biológica e são compostos orgânicos. Não pode realizar-se qualquer processo biológico sem que em alguma fase do mesmo sejam envolvidos os aminoácidos. Estes aminoácidos são produzidos em empresas especializadas, por meio de um recipiente misturador no qual se coloca leveduras e outros produtos. Subsequentemente, por meio de vários hidrólise e centrifugação, se disporá do fertilizante orgânico. As proteínas são substâncias orgânicas nitrogenadas de elevado peso molecular, e todas são constituídas por séries definidas de aminoácido. Os aminoácidos são, por conseguinte, as unidades básicas das proteínas. A maioria das proteínas possui vinte aminoácidos.

As plantas sintetizam os aminoácidos através de reações enzimáticas, por meio de processos de aminação (síntese de aminas) e de transaminação (reação caracterizada pela transferência de um grupo amina de um aminoácido para um ácido α-cetoácido, para formar um novo aminoácido e um novo ácido α-cetônico, efetuado pelas transaminases), os quais levam um elevado dispêndio de energia por parte da planta. A partir do ciclo do nitrogênio, surge a possibilidade de poder fornecer aminoácidos para a planta, para que ela poupe o trabalho de sintetizá-los, e, assim poder obter uma melhor e mais rápida resposta na planta. Assim, os aminoácidos são facilmente utilizados pelas plantas, e o transporte dos mesmos não mais se aplica, dirigindo-se a todas as partes, especialmente os órgãos em crescimento.

Os aminoácidos, ademais de uma função de nutricional, podem atuar como reguladores de transporte de microelementos, já que podem formar complexos com metais em forma de quelatos. Porém a qualidade de um produto à base de aminoácidos, está diretamente relacionada com o procedimento empregado para a obtenção de tais aminoácidos.

Todos os fertilizantes orgânicos, podem ser usados em quaisquer espécies de plantas e a sua aplicação é geralmente mediante irrigação, colocando-se uma série de tanques auxiliares, através dos quais se injetam no sistema de irrigação em quantidades ajustadas.

REFERÊNCIA:

http://infoagro.com/mexico/importancia-de-los-abonos-organicos/

One thought on “Adubos orgânicos e sua importância para a agricultura ecológica”

Deixe uma resposta